O que é e o que significa Shavuot?

O que é e o que significa Shavuot?

O Ben Anussim tem que entender que os chaguim (Haghim = Festas Sagradas) são muito mais do que uma celebração e algo histórico e passado, ele deve entender que todas estas festas são na verdade um aviso, uma placa de sinalização que nos indica quais energias de nossa alma são carregadas em tempos específicos do ano. Lehavdil (Mal comparando, ou sem comparar), uma estrada precisa de placas para informar o quais cuidados cada perímetro pede de nós, ou as estações do ano que influenciam como o tempo, o clima e o sol vão influenciar as plantas, Lehavdil, os chaguim também nos influenciam e guiam nossa alma para Avodat HaShem (Serviço Divino).

Precisamos estar atentos para entender em que estação estamos, para entender qual a influência especial que temos neste ponto.

Em Shabuot as luzes celestiais (Orot Shamaim) estão especialmente voltadas para nos revelar a Torah do Sinai em nossos tempos e dias.
Shavuot é o dia no qual celebramos a grande revelação da Outorga da nossa Toráh Kedoshah (Sagrada) no Har Sinai (Monte Sinai), no ano 2448. Neste dia, as almas de todos os judeus de todos os tempos juntaram-se para ouvir os Dez Mandamentos, transmitidos pelo próprio D’us. Nossos Chachamim (Hahamim = Sábios), de abençoada memória, nos ensinam que todas as almas dos judeus, incluindo as almas dos Geerim (Convertidos) estavam no Har Sinai.

Em Shabuot, na realidade, Elokim está nos dando novamente a Torah Kedoshah. Nessa época ouvimos Asseret HaDibrot (10 ditos) e é importante, cada judeu, homem, mulher, cada alma mesmo katan (menor de idade) precisam ouvir e receber sobre si a Torah.

Att.,
Yaakov Benlev Carneiro

 

 

Shavu’ot Leis e costumes – Artigo 1

BS”D
Shavu’ot Leis e costumes
Em Shabuot temos muitas leis e costumes, dentre elas temos, comer alimentos a base de leite.
Hoje entenderemos ou veremos novamente as razões e motivos, legítimos, para este minchag (Costume).
Antes da outorga da Sagrada Torah no Sinai, já haviam as leis de Kashrut, porém a partir da entrega da Sagrada Torah de maneira institucional ela foi ratificada. A Torah foi entregue em um dia de Shabat, por esse motivo, nenhum animal poderia ser abatido, de mesma forma, nenhum k’lí (utensílio) poderia ser kasherizado, por tanto neste dia a principal alimentação física foi à base de leite.
O Segundo motivo, é que a Sagrada Torah é comparada com o leite, quanto alimentação. A palavra hebraica para leite é Chalav. A palavra Chalav (חלב) na guemátria tem o valor de 40 (quarenta), ou seja 8+30+2. Quarenta é o número de dias que Moshê Rabenu permaneceu no Monte Sinai recebendo a Torah de HaKadosh Baruch hu.
Há um outro equivalente que aprendemos sobre o valor de 40, Encontramos no Sefer Bereshit, no finalzinho da parashat Lech Lecha o passuk onde Avraham Avinu, ri em seu interior ao receber a notícia do nascimento de Yitzchak. O passuk nos informa que ele Avraham Avinu riu em seu interior, ou em seu coração. A palavra que aparece em hebraico para “em seu coração” é בלבו (Belevo). O valor numerico para בלבו é 40. O que nos mostra que os 40 dias no Sinai era o equivalente à colocar a Sagrada Torah no interior, ou no profundo do íntimo do coração. Esse também é o motivo máximo do afeto entre mãe (lactante) e o filho. A ligação entre ambos é algo incrível e a nossa relação com a Sagrada Torah, o leite que nos alimenta à vida espiritual, deve também ser o nosso elo com Ruach, a face mãe do Sagrado, segundo os Mikubalim.
Att.,
Yaakov Carneiro