IMPORTANTE: Conversão ao judaísmo no Rio de Janeiro – Brazil – Há solução para os marranos e bnei anussim?

BS”D
Um pouco do conteúdo desta carta aberta.
APRESENTAÇÃO
RELATÓRIO
PUNIÇÕES – DESCULPAS
NOVOS RUMOS
CAMINHO ANTIGO
COMUNIDADE
METAS
PLANOS
APRESENTAÇÃO – RELATÓRIO
Shal’m a todos os que fazem parte de nossa trajetória. Amigos do passado que nos acompanharam, que visitaram nossa comunidade ou que fizeram parte de alguma forma.
Esse comunicado oficial, nada mais é que um agradecimento, juntamente com um pedido de desculpas. Além disso é também uma prestação de contas. Além de um relatório de para onde vamos e o que faremos.
Comunico oficialmente que a comunidade Beit ‘Or está mais consolidada que jamais esteve, está mais madura e mais plena de suas atividades.
Elegemos de maneira democrática um presidente e vice-presidente da comunidade. Elegemos um secretário, dividimos funções dentro da parte gerencial e educacional desta respeitada instituição, que outrora familiar e fundada por mim, Yaakov Benlev Carneiro.
Apresento então, oficialmente a junta organizacional que visa manter, organizar e progredir essa importante peça, fundamental na história marrana sefaradi no Estado do Rio de Janeiro e na Baixada.
David Miller (Residente)
Vinicius Shmuel (Vice-precidente)
Yaakov Carneiro (coordenador educacional – estudos da torah)
Alan Shimeon ( Secretário Geral).
PUNIÇÕES – DESCULPAS
Nossa comunidade é uma comunidade jovem por isso alguns intempéries houveram em nossa caminhada. Alguns de nossas líderes cometeram excessos de zelo e algumas vezes até mesmo grosserias. Punimos os responsáveis e trabalhamos para que os que estavam fora de controle em sua busca em fazer-nos alvos de missionários, saíssem da comunidade. Perdemos também pessoas doces e agradáveis, talvez no desejo de manter todos quanto possíveis, perdemos alguns que se foram por conta de desavenças ou problemas administrativos. Caso seja o seu caso, pedimos desculpas e pedimos que faça contato novamente. Se seu caso não foi julgado com justiça, rigor ou com respeito, basta pedir à presidência, ou a qualquer um dos diretores que lhe ajude na petição e no julgamento de causa. Tentaremos ser o mais cuidadosos possíveis com seu caso e que os responsáveis por quais quer problemas sejam devidamente multados ou penalizados.
HISTÓRICO – NOVOS RUMOS – CAMINHO ANTIGO
Desde 1998, um pouco perdido passei a levar a sério a idéia de procurar o judaísmo e orientação sobre tal, haja visto que vinha de um histórico real de anussim. Não um marranismo projetado, com todo o respeito a história individual de cada um, minha história foi familiar.
De lá para cá tivemos muitos tropeços, cometemos alguns enganos, fizemos aliança com quem não estava comprometido com a comunidade, com nossos sábios, com nosso povo e com o crescimento dos marranos. Neste mesmo caminho conhecemos muita gente séria que estava no caminho de nossos sábios ou ao menos mais próximos. Muitos amigos, muitas histórias muitos aprendizados.
Aprendemos que precisamos nos submeter aos chachamim aos sábios da torah e a um rabino. Infelizmente sofremos demais para compreender isso. Hoje estamos em uma busca por rabinos que desejem e tenham a missão com os marranos. Entendemos as questões halachicas  e estamos dispostos a viver e atender estas condições, porém na baixada fluminense não há uma autoridade rabinica e a autoridade rabinica ortodoxa está muito distante física e conceitualmente falando.
Neste meio tempo continuamos estudando as Halachot, infelizmente temos diversas dificuldades logísticas, as quais estamos trabalhando para sana-las.
Trabalhamos muito, com poucos recursos financeiros e estruturais, estes segundos que dependem dos primeiros. Entretanto continuamos na difícil jornada e luta.
Hoje mais dispostos do que nunca e mais convictos do que nunca, estamos estruturando o que chamamos de COMUNIDADE SEFARADI.
Um dos elos mais difíceis de retirar de dentro de uma comunidade marrana é a tolerância à idéia de um ser messiânico que separa e divide a comunidade, que impede de nos unirmos. O vínculo idólatra chega a ser tão forte que as pessoas pouco percebem o quanto algumas idéias separatistas atrapalham, separam, desunem e tiram a paz. Se há uma pessoa, por mais bela e bondadosa que seja, por mais justa, amável e correta que seja, separa judeus halachicos e descendentes de judeus (o que chamamos hoje de judeus não halachicos) da torah, do povo de Israel e do Sagrado, isso é idolatria. Nada pode separar o povo de Israel e ninguém pode separar esse povo do Sagrado.
Todas estas idéias separatistas ainda permeavam nossa comunidade até bem pouco tempo, então trabalhamos para desconstruir juntos idéias e sistemas fraudulentos, corruptos e enganadores que nos separavam da comunidade.
Hoje, trabalhamos para retomar essa relação, ha muito perdida e esquecida.
METAS
As metas foram estabelecidas e postas em prática a quase dois anos. Nesse meio tempo, trabalhamos para conhecermos mais as halachot e adaptarmos absolutamente nossas vidas à uma vida judaica. Em nossos próprios méritos, buscando e lutando para construir o que outros lá atrás fizeram e colheram para hoje ter. Entendermos que o Marrano perdeu seu status e seu zerrut (Mérito ou galardão) de pertencer à uma comunidade. Hoje temos que nos esforçar e construir o nosso próprio zechut. Sem gerar problemas para a comunidade judaica, para tratar essas pessoas e trabalhar suas midot, ainda mais do que ensina-las conceitos, idéias e mandamentos judaicos. Mais do que isso, trabalhar a faísca divina contida nessas comunidades para que elas estejam prontas à viver judaísmo digno, sem pedir migalhas, mas mostrando a força do Baal Teshuvah e do Ger Tzedek. Tudo nos fez desistir, nossa própria condição, a dificuldade, a pressão por parte de muitos membros da comunidade judaica tradicional, muitos que desconfiavam de nós, pensando que tínhamos ligação com grupos não judaicos, hoje vêem que não estamos brincando, estamos construindo um bairro e uma comunidade judaica forte na baixada fluminense coesa e bem resolvida.
PLANOS
Esperamos dar o Zechut, o grande mérito aos judeus e rabinos que estejam conosco para o chegar dessa saga em busca de uma vida kasher. Esperamos que no findar dessa história judeus, tradicionais e ortodoxos tenham o mérito de fazer crescer essa grande comunidade e converter esse grupo que deseja com todas as forças viver as mitzvot e que não conseguiram viver como noachides e que esperam ansiosamente o momento de poderem ser chamados Bnei Avraham, pois zechut, esses homens e mulheres corajosos, que abandonaram empregos, vida social, que foram perseguidos e ainda são, que negaram empregos com grandes salários, que perderam muito de sua vida para viver o que vivem, ahhh zechut, eles têm.
Em breve teremos nossos próprios abatedouros segundo a Halacha, teremos Mikvah construido segundo à halacha. teremos nosso bairro para que nós e nossos filhos tenham a chance de um dia serem chamados Judeus Halachicos.Shal’m, Shabua Tob.

 

Advertisements

One thought on “IMPORTANTE: Conversão ao judaísmo no Rio de Janeiro – Brazil – Há solução para os marranos e bnei anussim?

  1. Baruch HaShem! Linda história! Tudo é possível, quando se há dedicação, persistência e a cima de tudo, zelo para com a Torah do Bendito e Sagrado! Força Yaakov, continue firme, prossiga!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s